Depois de perder Neymar, Globo força aproximação de Casão e Jesus

Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019 às 12:42

O relacionamento do esporte da TV Globo e Neymar segue muito ruim. Resquício ainda das críticas de Galvão Bueno ao atacante, na Olimpíada do Brasil.

Galvão cobrou postura de capitão, ter coragem de dar entrevista quando as coisas estão ruins. Que Neymar fosse um líder.

Casagrande concordou. E em fevereiro do ano passado, desabafou.

“Me incomoda a maioria dos torcedores brasileiros e da imprensa ficarem passando a mão [na cabeça] do Neymar.

Ele já demonstrou diversas vezes comportamentos fora do coletivo, mimado, colocando até em risco a equipe. 

Estamos criando um monstro, ao invés de corrigir o monstro para ele virar gênio."

O pai de Neymar não suportou a crítica e respondeu.

"No universo do futebol conhecemos muitas pessoas com "comportamento de abutre". Por vezes se aproveitam de um microfone forte, de uma carreira de "jogador" (não dá para chamarmos de "atleta" alguém com comportamentos no mínimo questionáveis fora dos gramados) sem muito brilho, sempre a sombra de outros mais talentosos, para destilar suas frustrações", retrucou firme, citando o conhecido envolvimento de Casagrande com as drogas.

Desde então, o esporte da Globo não consegue se aproximar de Neymar.

Mesmo eles tendo sido sócios, com contrato assinado, durante a Copa de 2014. O jogador ganhava para dar entrevista à emissora carioca.

O repórter Mauro Naves tentava aproximar as partes. Até que houve o caso Najila. O primeiro advogado da modelo, que acusa Neymar de estupro e agressão pediu o telefone do pai do jogador ao jornalista. E Neymar sênior ficou revoltado ao saber que era para um encontro no qual o advogado pediu dinheiro para não divulgar o vídeo do encontro íntimo entre seu filho e a modelo.

Mauro Naves perdeu até o emprego na Globo por essa situação.

O pai de Neymar foi buscar abrigo na Band, com Datena e com Luis Ernesto Lacombe.

Durante a Copa América, Casagrande se encontrou no elevador com Gabriel Jesus. E resolveu brincar. Ironizou a falta de gols do jogador em partidas oficiais e perguntou se não estava na hora da bola entrar. Foi uma brincadeira.

O atacante da seleção de Tite ficou ofendido.

E reclamou publicamente.

Ele estava acompanhado de outros jogadores que não só ironizaram o atacante como cobraram o motivo de não ter dado uma resposta dura a Casagrande.

A cúpula da Globo percebeu que poderia perder outro jogador importante. E cobrou o comentarista.

A saída foi pedir desculpas publicamente a Gabriel Jesus.

Só depois das desculpas, o jogador ficou mais aliviado e disposto a dar entrevistas aos repórteres da Globo na parte final da Copa América.

Mas a situação precisava ser resolvida de vez.

E a Globo organizou uma encontro, uma entrevista entre o atacante e o comentarista. Os dois já conversaram e se acertaram.

Com Casagrande mais uma vez pedindo desculpas.

O encontro irá ao ar no domingo.

Demorou, mas a Globo percebeu.

Os jogadores atuais agem como celebridades.

Não aceitam questionamento, críticas.

E Casagrande aprendeu.

Terá de se conter, caso queira seguir trabalhando.

Simples assim...

FONTE: R7

ouça ao vivo

estúdio ao vivo